25 de novembro de 2008

Pequeno Dicionário de Palavras ao Vento.


Alegria – Bloco de carnaval que não liga se não é fevereiro.
Bondade – Aquilo que sai do coração quando a torneira está aberta.
Certeza – Quando a idéia cansa de procurar e pára.
Dor – É tudo aquilo que dá vontade de dizer “ai” lá de dentro do peito, seja topada, perda, cascudo ou abandono.
Encontro – A reunião formada pelo que procurava, pelo achado e pelo acaso.
Fidelidade – Um trato que você faz com você mesmo de cumprir os tratos que você fez com os outros.
Gula – Quando chocolate é mais importante que espelho.
Harmonia – Quando os olhos, os ouvidos, a boca e o coração sorriem ao mesmo tempo.
Irritação – Um alarme de carro que dispara bem no meio do seu peito.
Joaninha – Bichinho que deve ter nascido num dia em que a Criação estava especialmente bem-humorada.
Loucura – É coisa que quem não tem só pode ser completamente louco.
Mãe – É aquilo que dá vontade de gritar quando a gente não sabe o que fazer.
Namoro – É quando o universo inteiro em volta importa menos que o abraço.
Ousadia – É quando o coração diz para a coragem “vá” e a coragem vai mesmo.
Perdão – Quando o Natal acontece em maio, por exemplo.
Quase – É o curinga de toda incerteza.
Recordação – Quando um pedacinho do passado volta ainda mais enfeitado.
Sentimento – A língua que o coração usa quando precisa mandar algum recado.
Trégua – Um pedacinho de paz espremido entre duas lutas.
Urgente – Algo que não dá tempo de fazer xixi primeiro.
Vontade – É um desejo que cisma que você é a casa dele.
Xeque-mate – Quando só resta ao rei imitar o poeta e pedir um tango argentino.
Zangado – Um anãozinho da Branca de Neve que baixa na gente de vez em quando.

:: Adriana Falcão ::

2 comentários:

brenda disse...

Eu ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii esse dicinario e melhor do de português ou o de inglês, quer dizer eu adorei
gostei do namoro e minha cara....

OTNI disse...

Rs...
...é bem legal mesmo!
Obrigado pelo carinho... =]