11 de abril de 2009

*
Amo-te como um bicho, simplesmente de um amor sem mistério e sem virtude com um desejo maciço e permanente.

E de te amar assim, muito e amiúde
é que um dia em teu corpo de repente hei de morrer de amar mais do que pude.




:: Vinícius de Moraes

Nenhum comentário: