19 de dezembro de 2009

Você meu mundo, meu relógio de não marcar horas!

Você meu mundo meu relógio de não marcar horas; de esquecê-las. Você meu andar meu ar meu comer meu descomer. Minha paz de espadas acesas. Meu sono festival meu acordar entre girândolas. Meu banho quente morno frio quente pelando. Minha pele total. Minhas unhas afiadas aceradas aciduladas. Meu sabor de veneno. Minhas cartas marcadas que se desmarcam e voam. Meu suplício. Minha mansa onça pintada pulando. Minha saliva minha língua passeadeira possessiva meu esfregar de barriga em barriga. Meu perder-me entre pêlos algas águas ardências. Meu pênis submerso. Túnel cova cova cova cada vez mais funda estreita mais mais. Meu gemidos gritos uivos guais guinchos miados ofegos ah oh ai ui nhem ahah minha evaporação meu suicídio gozoso glorioso.


- O Amor Natural
:: Carlos Drummond de Andreade

Um dia a maioria de nós irá se separar!

Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora...
...as descobertas que fizemos!
...dos sonhos que tivemos!
...dos tantos risos e momentos que compartilhamos!

Saudades até dos momentos de lágrima!
Da angústia, das vésperas de finais de semana...
...de finais de ano!
Enfim!
...do companheirismo vivido...

Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre!
...hoje não tenho mais tanta certeza disso...
Em breve cada um vai pra seu lado, seja pelo destino, ou por algum desentendimento, segue a sua vida!
Talvez continuemos a nos encontrar...
...quem sabe!

Podemos nos telefonar! ...conversar algumas bobagens! Aí os dias vão passar, meses...
anos...
...até este contato tornar-se cada vez mais raro!

Vamos nos perder no tempo!
Um dia nossos filhos verão aquelas fotografias e perguntarão...
...quem são aquelas pessoas?!
Diremos que eram nossos amigos! ...e... isso vai doer tanto! Foram meus amigos, foi com eles que vivi os melhores anos de minha vida!

A saudade vai apertar bem dentro do peito! Vai dar uma vontade de ligar, ouvir aquelas vozes novamente...
Quando o nosso grupo estiver incompleto nos reuniremos para um último adeus de um amigo! ...e entre lágrima nos abraçaremos!

Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante! Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado...

E nos perderemos no tempo!
Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades seja a causa de grandes tempestades...

Eu poderia suportar! ....embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!


Saudades...
:: Fernando Pessoa