24 de março de 2011

Ato I: E os pequenos balanços do coração deixavam tudo mais instável ondulando o coloridos nas paredes fluidas de uma vida sem sentido.

Ato II: Brisa fina, leve olhar ... sim, esse menino tem jeito de artista , meu povo! [às 20:00 do mesmo sábado]

Ato III: Ele segurou timidamente aquele copo de whisky e bebadamente balançou - o, achou no horizonte um conforto para gestos mínimos que penetravam maciamente o peito suspirado de tanto amor! [ às 19:55 num sábado com cara de domingo]

Ato Final: Ultimamente, tenho prezado não deixar rastros. Seguir sem laços, apenas com os fortes que já possuía. O que me interessa tem sido tão pouco, pouquíssimo... Um superlativo ambulante! [às 10:19h de uma segunda aí que eu decidi ser outro]

Abrem-se as cortinas apenas para mais um agradecimento: Quero absorver tudo que é palavra, tudo que é sentido... Quero absorver o mundo em constante explosão dentro de mim.

:: Paulo Rodrigo